domingo, 15 de abril de 2012

Tristeza e pedido de justiça marcam funeral de mulher morta devido motorista alcoolizado em Xanxerê



O badalar dos sinos da Igreja Matriz de Xanxerê na tarde deste domingo (15), representou o sentimento de revolta de centenas de xanxerenses. 
O motivo? 
A morte prematura de Gleyce Andreia Ruas Lubi, na manhã do último sábado, próximo ao trevo da Femi, devido um acidente que envolveu além dela, um motorista alcoolizado.


O funeral, as lágrimas e o discurso de familiares e amigos foi a materialização da dor e do pedido de justiça para os motoristas imprudentes no trânsito. “Até quando pessoas vão continuar morrendo por falta de respeito nas estradas?”, questionava uma mulher que aguardava a saída do corpo de Gleyce na porta da igreja.



A missa de corpo presente, que antecedeu o enterro da vítima de 36 anos, fez com que até mesmo os conhecidos mais distantes se emocionassem e se revoltassem ao mesmo tempo. Essa mescla de sentimentos, principalmente, se deu pela forma que o acidente aconteceu.

Gleyce estava vindo a Chapecó para o seu último dia de pós-graduação por volta das 8h de sábado (14). Os seus sonhos foram interrompidos por Emanuel Lucas Spagnol, 27 anos, que dirigia uma Caminhonete Frontier Attack, de cor preta, placas MKD-3262, de Abelardo Luz, acompanhado por Jovani Salvalaggio, de 31 anos. Enquanto Gleyce fazia o sentido Xanxerê/Chapecó, eles faziam o sentido contrário. Em uma curva, Emanuel invadiu a terceira pista, onde Gleyce dirigia um Peugeot 307, atingindo o carro dela.


A jovem, que também era mãe de dois filhos, teve pouquíssimos ferimentos pelo corpo, mas com a violência do impacto da caminhonete, que bateu do lado em que ela dirigia, quebrou o pescoço e morreu na hora. 


Os bombeiros foram chamados para atender o acidente e no relatório comprovaram: “Os dois homens, sem lesões aparentes, encontrados caminhando em via pública, com sinais de embriagues e forte odor etílico”. Emanuel apontou 0,93 mg/l, sendo que o máximo permitido é 0,10mg/l. Testemunhas que chegaram ao local afirmavam que o motorista mal conseguia caminhar enquanto aguardava o atendimento dos bombeiros e Polícia Rodoviária Federal. 



Além disso, na sequência do acidente, um outro carro chegou ao local e tentou colaborar para que motorista e caroneiro da caminhonete fugissem, mas os policiais conseguiram evitar a fuga e encaminharam os dois para a delegacia de Polícia de Xanxerê.



O delegado Albino Souza de Araújo ouviu o depoimento dos dois homens, liberou Jovani, mas prendeu Emanuel Lucas Spagnol, que foi encaminhado ao Presídio Regional de Xanxerê e autuado por homicídio doloso, quando há a intenção de matar.



Segundo o delegado, Spagnol negou que estava dirigindo a Caminhonete naquele momento. “O complicado dessa situação é que ele nega que dirigia, alegando que o seu amigo estava no volante. Já o amigo diz que quem dirigia era mesmo Emanuel. O que eu não posso fazer diante de um fato grave como esse é deixar o envolvido impune, isso poderia causar uma revolta popular. Então estou autuando o homem que dirigia o veículo no momento que saiu de Abelardo Luz”, relata.


Neste momento, enquanto aguarda os procedimentos legais para sua punição, Emanuel está recluso no Presídio Regional de Xanxerê. Contudo, o que amigos e familiares querem é que esta não seja apenas mais uma estatística no trânsito, e sim que o responsável por tirar a vida de uma inocente seja punido e cumpra sua pena, servindo de exemplo para outros condutores que dirigem após ingerirem bebidas alcoólicas.

Fonte: PRF Xanxerê
Texto: Alô Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário