sábado, 17 de março de 2012

PRF confirma os nomes das vítimas envolvidas em acidente com caminhão de SC no Rio Grande do Sul

Motorista do caminhão viajava para Rio Grande para carregar peixes
Pelo menos cinco pessoas morreram no acidente Um acidente entre uma van e um caminhão com placas de Santa Catarina causou a morte de pelo menos cinco pessoas na tarde desta sexta-feira na rodovia Rio Grande-Pelotas (BR-392), próximo à ponte sobre o Canal São Gonçalo, no km 61, no limite entre os dois municípios, em Rio Grande. O motorista do caminhão, Éder Mendes de Campos, 26 anos, que sofreu apenas lesões leves e foi encaminhado ao Hospital de Pronto Socorro de Pelotas. Campos viajava de Sangão, no Sul de SC, para Rio Grande para carregar peixes. Segundo informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF) no início da noite de sexta-feira, em razão do acidente morreram o motorista da van, Roni Ilmar de Ávila Voltz, 32 anos, e as passageiras Jaqueline Weege de Leon Elisalde, 45 anos, Clarice Inez Lazzaretti Irigoyen, 50 anos, Daniela Domingues Schaun, 35 anos, Thays Silva Guimarães, 34 anos. Thays era psicóloga do Hospital da Universidade Federal do Rio Grande (Furg). Atuava desde 2004 na coordenação da infraestrutura do HU e tinha especialização em saúde pública. Era casada. Jacqueline Weege de Leon Elizalde, era farmacêutica. Também atuava na coordenação da infraestrutura do hospital. Era especializada em administração hospitalar. Tinha uma filho. Clarice Inês Lazzaretti Irigoyen, 50 anos, era farmacêutica. Há 16 anos trabalhava no HU. Era a chefe do Laboratório de Análises Clínicas desde 2008. Casada, tinha uma filha de 14 anos. Daniela Schaum, 35 anos, era enfermeira. A única vítima que não fazia parte do HU. Há cerca de um ano e meio, atuava no posto de saúde do bairro Parque Marina, em Rio Grande. Morava em Pelotas, de onde partia e voltava diariamente. Pegou uma carona com a van que se acidentou. Era mãe de uma criança. Roni Ilmar Ávila Volz era um dos responsáveis por transportar os profissionais da saúde. Tido como "um motorista prudente, atencioso e simpático" pelos funcionários, era casado e não tinha filhos. — Ele era praticamente parte do grupo. Sempre foi o condutor do pessoal. Um rapaz calmo, tranquilo. É um horror isso — lamentava Gicelda. Com lesões graves, Luis Otávio Lobo Centeno, 34 anos, e Maria de Fátima Ortiz da Silveira, 36 anos, passageiros da van, foram encaminhados ao Hospital de Pronto Socorro de Pelotas. Maria de Fátima permanecia internada até as 20h30min e, segundo o Pronto Socorro, seu estado era gravíssimo. Bioquímico do Hospital Universitário, Luis Otávio disse à mulher, Luana Martins Centeno, 31 anos, que estava dormindo durante a colisão e acordou "em meio a um turbilhão". Ele viajava ao lado do motorista. DIÁRIO CATARINENSE Foto: Nauro Júnior / Agencia RBS

Nenhum comentário:

Postar um comentário