quarta-feira, 7 de março de 2012

Indígena é suspeito de estupro em Fraiburgo

Suspeito atuava na colheita de maçã quando o fato aconteceu No fim da tarde da última segunda-feira (5), a Policia Civil de Fraiburgo efetuou uma prisão em flagrante de um homem suspeito de cometer estupro. Não houve conjunção carnal, mas a legislação preconiza que algumas atitudes cometidas, como por exemplo, passar as mãos em partes íntimas sem o consentimento, já são caracterizadas como estupro. De acordo coma delegada da Comarca de Fraiburgo, Beatriz Ribas Dias dos Reis, trata-se de um homem de origem indígena cuja identidade a policia não revelou, mas que é natural do Mato Grosso do Sul. Ele estava atuando na colheita de maçã de no município e ficava alojado em dormitório de uma empresa do ramo. Beatriz conta que a vítima relatou que estava nas margens da SC 453 quando foi atacada pelo suspeito. Ela teve parte das roupas rasgadas, mas conseguiu fulgir. Pediu ajuda a um caminhoneiro que passava pelo local, sendo que foi levada até a o município de Lebon Régis, onde inicialmente o caso foi atendido. “Com as características que a vítima passou, os policiais efetuaram diligências e o encontraram. Gostaria de salientar que ele estava embriagado, percebemos que todo mês é o mesmo problema, os safristas no dia do pagamento recebem e vão beber. Esse homem não conseguia nem falar direito, fomos obrigados a deixá-lo descansar por um tempo para depois tentar conversar”, explicou. A delegada destaca que como se trata de uma pessoa de origem indígena, porém considerada adaptada à cultura dos demais brasileiros ele é enquadrado no crime como aconteceria com qualquer outra pessoa. Caso ele não tivesse a adaptação à vida civil comum, a FUNAI seria acionada. O suspeito foi encaminhado para a Unidade Prisional Avançada de (UPA) Videira. “Quero deixar um alerta a população para que tomem cuidados em relação a estupros e furtos. Não podemos generalizar, mas muitas dessas pessoas que vem até aqui trabalhar, eles veem sozinhos, sem mulheres e acabam cometendo esse tipo de crime. Dessa forma, é bom a comunidade ficar em alerta”, destacou. Fonte: Edelcio Lopes- Diário do Meio-oeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário