quinta-feira, 15 de março de 2012

Aeroporto de Chapecó ficará fechado entre 15 e 60 dias

O aeroporto Serafim Enosso Bertaso, em Chapecó, que opera com restrição desde o dia primeiro de março, por problemas de degeneração na pista, terá que ser interditado de 15 a 60 dias para reforma da pista. A informação foi confirmada na tarde de ontem pelo Secretário de Planejamento do município, Nemésio Carlos da Silva. Ele afirmou que a previsão consta do Plano de Operacional de Obras e Serviços, que está sendo analisado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Nemésio disse que a partir do momento que for aprovado o plano, iniciam as obras. Os recursos, de R$ 9 milhões do Governo do Estado e mais R$ 2,6 milhões da Prefeitura já estão disponíveis. A empresa vencedora da licitação para reforma da pista já foi definida por edital, que é a Planaterra. A proposta da reforma encaminhada pela prefeitura prevê duas etapas. A primeira será nos 500 metros que foram interditados pela Anac e vai levar 30 dias. A segunda será nos 1.763 metros restantes, que necessitam da interrupção dos voos. Nemésio Carlos da Silva disse que esta etapa pode ser feita entre 15 e 60 dias, que é o prazo solicitado para a Anac. A ideia é remover a atual pista e fazer uma completamente nova, com drenagem para corrigir as infiltrações de água no subleito. A nova pista terá uma camada de 70 centímetros e vai permitir o pouso de aeronaves maiores, com o A 320 da Avianca e o Boeing 737 800 da Gol, que tem 184 lugares. Antes da interdição a maior aeronave em operação era o Boeing 737 da Gol, com 144 lugares. Atualmente, só podem operar aeronaves com até 72 lugares. Ele destacou que a data da interdição e a forma como a obra vai ser executada dependem da aprovação da Anac. A agência informou que recebeu o plano na semana passada e está fazendo a análise técnica. A interdição vem trazendo uma série de transtornos para o usuários do aeroporto. O casal Ricardo Bettanin e Lizandra Cornélis, que trabalha na Alemanha e veio passar as férias com o familiares em Pinhalzinho, teve que pousar em Passo Fundo e viajar de van três horas até Chapecó. Desde a interdição a Avianca está sem operar em Chapecó. Bettanin reclamou do desencontro de informações. O aeroporto de Chapecó movimenta cerca de 23 mil passageiros por mês. Antes da interdição tinha a Gol e Avianca operando duas saídas e duas chegadas por dia para Florianópolis e São Paulo. Também tinha a Trip operando diariamente para Florianópolis e interior do Paraná, além da NHT com linha para Curitiba. A partir de hoje a Trip vai passar a oferecer novos voos charter para Florianópolis e, a partir do dia 18, a Azul também começa a operar voos diários para Campinas-SP. Com isso deve melhorar o atendimento à demanda. Muitos passageiros estão indo de carro ou de ônibus. A Reunidas, por exemplo, registrou um aumento de até 50% na procura de passagens para Florianópolis, segundo alguns funcionários. A empresa até colocou um ônibus leito extra para Florianópolis no final de semana para atender o aumento na demanda. A Federação das Indústrias de Santa Catarina está preocupada com a situação do aeroporto de Chapecó, pois isso pode interferir na economia do estado, já que a região é polo mundial no setor agroindustrial. Frequentemente a região recebe missões internacionais que vão prospectar e fechar negócios. Ontem teve uma reunião na sede da Fiesc, com a participação do prefeito José Cláudio Caramori. O prefeito disse que o município está tomando as medidas para reestabelecer a normalidade da pista. –Em breve esse problema estará resolvido, mas precisamos mais investimentos do Governo Federal- disse. Ele destacou que o aeroporto serve para uma região de mais de 300 municípios dos três estados do Sul e deve ser encarado como estratégico para o Mercosul. O município tem um projeto de novo terminal de passageiros, no valor superior a R$ 60 milhões, dando ao aeroporto um padrão internacional. Ele informou que a concessão do Governo do Estado para o município termina em 2013 e a intenção do município é realizar uma concessão pra a iniciativa privada. Números do aeroporto Pousos e decolagens em 2010: 92 mil Pousos e decolagens em 2011: 123 mil Voos diários: 8 Pista: tem 2563 metros, sendo 500 não homologados. Outros 500 estão interditados. Opera atualmente com 1763 metros. ClicRBS Chapecó Darci Debona | darci.debona@diario.com.br*

Nenhum comentário:

Postar um comentário