terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Polícia Civil de Chapecó prossegue inquérito para apurar causa da morte do vereador Marcelino Chiarello


Chapecó- A Polícia Civil de Chapecó prossegue com as investigações acerca do inquérito policial para apurar as causas da morte do vereador Marcelino Chiarello, encontrado morto dentro da casa onde morava, no bairro Santo Antonio em Chapecó, no dia 28 de novembro do ano passado.
De acordo com o delegado Augusto Melo Brandão, o procedimento policial corre sob segredo de justiça, na tentativa de resguardar todo o trabalho desenvolvido pela Polícia Civil e pelo Instituto Geral de Perícias, ao longo da persecução penal.
Ainda para o delegado, há muita especulação sobre o caso, especialmente por se tratar da morte de um político muito conhecido na região. Mas, tudo que está sendo dito, especialmente através da imprensa, acerca dos resultados dos laudos são apenas informações hipotéticas, pois, em nenhum momento, a Polícia Civil apontou qualquer resultado de laudo cadavérico ou de local de crime, que são procedimentos de responsabilidade do IGP. “O que podemos afirmar com certeza é que os primeiros laudos apresentados foram inconclusivos, ou seja, deixam dúvidas sobre a causa da morte. Dessa forma, nós procedemos como em qualquer outro procedimento, requisitamos novos laudos ao IGP”, disse o delegado.
Somente após a apresentação destes laudos é que o inquérito será concluído e encaminhado ao judiciário.
O Delegado Geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, diz que acredita na seriedade e na capacidade da Polícia Civil de Chapecó e que o papel da Delegacia Geral é fornecer todo o apoio necessário para que o caso seja elucidado.
Preside o inquérito policial o delegado Ronaldo Neckel Moretto, com atuação do delegado Augusto Melo Brandão.
Krislei Oechsler
Assessoria de Imprensa
Polícia Civil de Santa Catarina

Nenhum comentário:

Postar um comentário