sábado, 10 de dezembro de 2011

PT busca manter caso Chiarello na mídia



O Partido dos Trabalhadores está trabalhando para que o caso da morte do vereador Marcelino Chiarello (PT), ocorrida no dia 28 de novembro, não seja esquecido. A estratégia é manter uma cobrança permanente de solução do caso, por meio de uma série de ações. Na segunda-feira passada houve um ato público em Chapecó. A reunião do diretório estadual do partido, que era para acontecer em Florianópolis, neste sábado, foi transferida para Chapecó. Além disso foi prestada uma entrevista coletiva na manhã deste sábado.


Durante a coletiva o presidente do diretório municipal José Fritsch disse que os objetivos de realizar a reunião em Chapecó são prestar uma homenagem ao companheiro morto e manter vigilância permanente sobre o caso. Lideranças do partido mantém contato com os delegados que acompanham o caso e também com o advogado nacional do PT, Luiz Eduardo Greenhalgh, que está prestando “consultoria” no caso.

O deputado federal Pedro Uczai informou que a Polícia já solicitou informações mais detalhadas das ligações telefônicas do vereador, já que não apareciam ligações ou mensagens que ele teria recebido na manhã que foi morto. O objetivo também é saber as ligações não atendidas e quem ligou para ele nos dias anteriores à sua morte. Para as lideranças do PT a morte do vereador está ligada às denúncias que ele fazia ou que ainda iria fazer.

Os deputados estaduais Dirceu Dresch e Luciane Carminatti, a vereadora Ângela Vitória e o ex-deputado Cláudio Vignatti também participaram da coletiva. A vereadora Ângela Vitória disse que vai entrar com um projeto na Câmara para que 28 de novembro seja um dia de celebração da paz, justiça e cidadania.

Além de falar sobre o caso Chiarello o PT discutiu sobre o calendário eleitoral de 2012.

ClicRBS Chapecó

Nenhum comentário:

Postar um comentário