sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Bombeiros salvam bebê Criança de dois meses estava engasgada com leite materno. Por telefone bombeiro ajudou a salvar



A vida de um recém-nascido foi salva em Joaçaba na noite desta quinta-feira, 28, graças à ação rápida e a perícia dos bombeiros que atuaram a ocorrência.

Por volta das 21h44, na Rua Sérgio da Silveira, bairro João Paulo II, os bombeiros atenderam um menina de dois meses que havia se engasgado com o leite materno. A mãe, desesperada, entrou em contato pelo 193 e chamou o socorro. No tempo entre o deslocamento da viatura e a chegada até o local o soldado que atendeu a ligação foi repassando as orientações necessárias e acalmando a mãe, o que foi fundamental para que a criança pudesse se manter viva.

Quando chegaram a casa os bombeiros encontram o bebê quase sem respiração, mas conseguiram reanimá-la.

Uma experiência para toda a vida

Quem estava na central telefônica dos bombeiros era o cabo Fedrigo, um bombeiro experiente, mas que em seus 27 anos de atuação jamais havia passado por uma situação como essa. “Isso pra mim foi inédito, algo que pra explicar só passando pela experiência”.

O cabo explicou que uma das principais tarefas foi acalmar a mãe. “ Eu tive que ir acalmando a mãe e falando pra ela que eram necessários alguns procedimentos enquanto a viatura não chegasse. Ela estava bastante nervosa, implorava para todos os santos e eu ouvia muitos gritos de familiares”.

Ao mesmo tempo em que falava com a mãe o cabo ainda passava a localização exata da casa para os colegas que se deslocavam com a viatura. “No começo a mãe não conseguia me passar o endereço, isso estava dificultando nosso deslocamento, mas ai quando ela se acalmou foi mais fácil, até por que nosso pessoal da viatura conhecia bem o bairro”.

Fedrigo contou quais foram os procedimentos que ele repassou para que fossem feitos. “Perguntei para a mãe se era ela que estava com a criança, ela disse que era o pai. Então orientei que o pai sentasse no sofá e colocasse a criança sobre uma das coxas e desse tapas leves nas costas da menina. Como não surtiu efeito no começo fui repassando as demais orientações. Até que a mãe falou que a criança havia vomitado, ai foi um alívio”.

Foram 5 minutos de extrema tensão para todos até que a ambulância e os bombeiros puderam fazer os primeiros atendimentos e após levar para o hospital.

Para o Cabo, está experiência nunca mais sairá da memória. “Já aconteceu de tudo nestes meus 27 anos de bombeiros, até queda de avião, mas esta experiência de saber que salvamos uma vida foi algo que ficará na minha memória para sempre”. Disse o feliz cabo Fedrigo, que depois de tudo ainda entrou em contato com a mãe por telefone para saber como esta a criança no hospital, foi ai que ouviu os agradecimentos, que não se resumem apenas a quem viveu a ocorrência, mas são de toda a comunidade.

ederluiz.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário