segunda-feira, 20 de junho de 2011

Delegado diz que Andressa Holz poderia ter sido encontrada viva

Adolescente teria sido vítima de tentativa de estupro dias antes do sumiço


O mistério em torno do assassinato de Andressa Holz pode estar perto do fim. O delegado regional de Joaçaba, no Meio-Oeste de Santa Catarina, Ademir Tadeu de Oliveira, disse em entrevista à Rádio Catarinense, na manhã desta segunda-feira, que tudo aponta para crime sexual.

Segundo ele, Andressa teria sido vítima de tentativa de estupro dias antes do sumiço, no dia 17 de junho do ano passado. Três homens que trabalhavam em uma propriedade vizinha da família Holz seriam os suspeitos.

Um destes suspeitos está detido no Presídio Regional de Joaçaba, por envolvimento em tráfico de drogas, e já foi investigado por participação no assassinato da adolescente. Na época, a polícia descartou a hipótese.

Todas essas informações vieram à tona depois que policiais da Delegacia de Homicídios da Capital foram acionados para atuar no caso. Oliveira declara que, se a polícia soubesse de tudo isso antes, poderia ter encontrado Andressa com vida.

— Provas que existiam na comunidade, que poderiam ter levado facilmente ao assassino, foram omitidas. Se essas informações tivessem chegado à época, poderíamos ter encontrado ela com vida — disse o delegado à Rádio Catarinense.

O pai da vítima, Otávio Holz, disse na semana passada que a polícia teria encontrado um esconderijo na comunidade de Linha Leãozinho. Ele revelou que Andressa teria sido levada para o local antes de ser morta.

O delegado regional diz que a polícia, em conjunto com o Ministério Público, estuda pedir a prisão de vizinhos da família da vítima. Todos seriam enquadrados por omissão, já que teriam prejudicado as investigações.

A equipe da Homicídios, coordenada pelo delegado Ênio Matos, ainda não finalizou as investigações. Eles só devem se pronunciar no final dos trabalhos.

DC
Daisy Trombetta | daisy.trombetta@diario.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário